o buraco do espelho está fechado

[qua] 3 de agosto de 2016

Transcrição/legenda de um fragmento do filme de Laís Bodanzky

O bicho de 7 cabeças.

00:44:06,115 –> 00:44:11,951
É preciso fingir. Quem é que
não finge neste mundo, quem?

467
00:44:12,455 –> 00:44:16,186
É preciso dizer que tá bem disposto,
que não tá com fome…

468
00:44:16,392 –> 00:44:20,454
é preciso dizer que não tá com
dor de dente, que não tá com medo…

469
00:44:20,664 –> 00:44:22,963
senão não dá, não dá.

470
00:44:23,201 –> 00:44:26,932
Nenhum médico jamais me disse
que a fome e a pobreza…

471
00:44:27,138 –> 00:44:29,664
podem levar a um distúrbio mental.

472
00:44:29,875 –> 00:44:34,038
Mas quem não come fica nervoso,
quem não come…

473
00:44:34,245 –> 00:44:37,409
e vê seus parentes sem comer
pode chegar à loucura.

474
00:44:37,616 –> 00:44:43,419
Um desgosto pode levar à loucura,
uma morte na família…

475
00:44:43,623 –> 00:44:46,717
o abandono do grande amor.

476
00:44:47,994 –> 00:44:52,591
A gente até precisa fingir
que é louco sendo louco…

477
00:44:52,800 –> 00:44:57,135
fingir que é poeta sendo poeta.

478
00:44:57,339 –> 00:45:00,172
Vai até ali e leia.

479
00:45:12,388 –> 00:45:16,587
O buraco do espelho está fechado

480
00:45:16,794 –> 00:45:20,696
Agora eu tenho que ficar aqui

481
00:45:20,898 –> 00:45:24,733
Com um olho aberto, o outro acordado

482
00:45:24,936 –> 00:45:28,429
No lado de lá onde eu caí

483
00:45:29,174 –> 00:45:32,439
Pro lado de cá não tem acesso

484
00:45:33,111 –> 00:45:37,105
Mesmo que me chamem pelo nome

485
00:45:37,316 –> 00:45:41,116
Mesmo que admitam meu regresso

486
00:45:41,321 –> 00:45:45,348
Toda vez que eu vou a porta some

487
00:45:45,559 –> 00:45:48,723
A janela some na parede

488
00:45:49,364 –> 00:45:53,061
A palavra de água se dissolve

489
00:45:53,434 –> 00:45:57,700
Na palavra sede a boca cede

490
00:45:57,939 –> 00:46:01,671
Antes de falar e não se ouve

491
00:46:01,911 –> 00:46:05,677
Já tentei dormir a noite inteira

492
00:46:05,881 –> 00:46:09,750
Quatro, cinco, seis da madrugada

493
00:46:09,953 –> 00:46:13,890
Vou ficar ali nessa cadeira

494
00:46:14,091 –> 00:46:17,492
Uma orelha alerta, outra ligada

495
00:46:17,695 –> 00:46:21,792
O buraco do espelho está fechado

496
00:46:22,000 –> 00:46:25,867
Agora eu tenho que ficar agora

497
00:46:26,103 –> 00:46:29,938
Fui pelo abandono abandonado

498
00:46:30,175 –> 00:46:33,771
Aqui dentro do lado de fora

***

%d blogueiros gostam disto: