o caracol e a canção para o vento

[qui] 2 de junho de 2016

madrugada virada.

3 horas para sair de casa.

ir trabalhar.

duas semanas e não organizei nada.

na terça pensei sobre isto – parte de mim torce para esse contrato terminar agora em junho e eu poder respirar… outra parte pensa na grana que vai fazer falta… parte morre e outra parte também.

e lá vou eu fugindo de tudo nessa vida. porque a solidão é um vício e quanto mais só, mais vontade tenho de ficar só… e menos vontade tenho de voltar a viver. há algum tipo de lamento profundo dentro do meu peito. e uma dificuldade tremenda em aceitar essa normalidade que paira no ar.

e a trilha sonora… perota chingo.

«Yo era un caracol tranquilo,
Yo era un caracol normal..
Vivía cerca del río, del río de la capital..

 

nuvens imensas encobrem o pico do cambirela. é madrugada quando saio de casa. no caminho descubro que não haverá aula [via whatsapp]. é dia de luto. o companheiro de ana – a diretora, e ambos tem, mais ou menos, a minha idade – faleceu repentinamente. ela gravida de 8 meses e ele se foi assim, inesperadamente. como é frágil a vida, os sonhos, os planos… sinto um falta de ar. tudo ficou nublado.

e eu o que estou fazendo de minha vida?
canções de perita chingo no playlist, e tudo isto…

é um dia triste.

%d blogueiros gostam disto: