vampiro

[ter] 1 de setembro de 2015

Eu uso óculos escuros pras minhas lágrimas esconder / E quando você vem para o meu lado, ai, as lágrimas começam a correr / E eu sinto aquela coisa no meu peito / Eu sinto aquela grande confusão / Eu sei que eu sou um vampiro que nunca vai ter paz no coração / Às vezes eu fico pensando porque é que eu faço as coisas assim / E a noite de verão ela vai passando, com aquele seu cheiro louco de jasmim / E eu fico embriagado de você / Eu fico embriagado de paixão / No meu corpo o sangue não corre, não, corre fogo e lava de vulcão / Eu fiz uma canção cantando todo o amor que eu sinto por você / Você ficava escutando impassível e eu cantando do teu lado a morrer / E ainda teve a cara de pau / De dizer naquele tom tão educado / “Oh! pero que letra más hermosa, que habla de un corazón apasionado” /  Por isso é que eu sou um vampiro e com meu cavalo negro eu apronto / E vou sugando o sangue dos meninos e das meninas que eu encontro / Por isso é bom não se aproximar / Muito perto dos meus olhos / Senão eu te dou uma mordida que deixa na sua carne aquela ferida / Na minha boca eu sinto a saliva que já secou / De tanto esperar aquele beijo, ai, aquele beijo que nunca chegou / Você é uma loucura em minha vida / Você é uma navalha para os meus olhos / Você é o estandarte da agonia que tem a lua e o sol do meio-dia / Jorge Mautner  // Vampiro.

E lontano, lontano nel tempo / Qualche cosa negli occhi di un altro / Ti far… ripensare ai miei occhi, / I miei occhi che t’amavano tanto. / E lontano, lontano nel mondo / In un sorriso sulle labbra di un altro / Troverai questa mia timidezza / Per cui tu mi prendevi un po’ in giro / E lontano lontano nel tempo / L’espressione di un volto per caso / Ti far… ricordare il mio volto, / L’aria triste che tu amavi tanto. / E lontano, lontano nel mondo / Una sera sarai con un altro / E ad un tratto chiss… come e perchè / Ti troverai a parlargli di me / Di un amore ormai troppo lontano // Luigi Tenco // Lontano Lontano.

***

e eu aqui com essa vontade de… esconder-me. com infecção nas cordas vocais, dor na testa e desanimo existencial. arghh… tudo passa. tudo passará e nossa…

%d blogueiros gostam disto: