zera a reza

[qui] 27 de agosto de 2015

coisas em aberto…

«No tengo a quien culpar
Que no sea yo,
Con mi reguero de cabos sueltos.
No me malinterpreten,
Lo llevo bien,o por lo menos
Hago el intento.»

acordei no meio de um pesadelo. acordei cedo, antes das sete. acordei com pensamentos tristes e angustiantes… é triste essa angustia constante.

ontem, antes de dormir, ouvia o dalai lama, sobre várias coisas e entre elas a felicidade: afinal, «Qual é o caminho da felicidade? “Você e eu também fazemos parte da humanidade. Se 6 bilhões de pessoas são felizes, nós dois teremos o máximo de felicidade. Se 6 bilhões sofrem, nós dois sofremos”.»

ontem, antes de dormir, eu tive que para aquela aula e perguntar “qual é”?

a violência sistemática é de tal ordem e tão presente que as vezes é impossível ‘tocar em frente do jeito que dá’ e se é obrigado a parar e olhar ela de frente. o que estamos todos fazendo aqui? quais são nossos sonhos? e para que pode servir as aulas de sociologia?

***

notas da amanhã, canções na itapema…

Caetano Veloso – Zera a Reza (primeira vez que ouço…)

The Chordettes – Mr. Sandman (a que tocou era interpretado por outro grupo… não anotei aqui. e aquela pesquisa rápida na wiki..)

Ben Harper e Vanessa da Matta – Boa Sorte (Good Luck)

I get along without you very well

***

ashtanga-yantra

Ashtánga Yantra – o símbolo do Swásthya Yôga.  O ashtánga yantra é formado por um círculo de cujo centro centro partem oito raios equidistantes, que ultrapassam a circunferência e terminam em oito trishúlas, símbolos de Shiva.

aegishjalmr

Ægishjálmr” ou em português “Elmo do Terror”, é um símbolo pagão nórdico usado principalmente na magia Seiðr (tradição mágica que tem como principais divindades Odin e Freya.

330xN

Exu, o orixá mensageiro africano da comunicação e do movimento, carrega um tridente, que simboliza o poder, a força e os mistérios. Assim, as três pontas do tridente buscam a evolução espiritual por meio da sabedoria e do equilíbrio, posto que os Exu’s o utilizam a fim de trazer a luz e ademais, dominar os espíritos perdidos. Vale destacar, que nesse contexto, o tridente representa os quatro elementos primordiais: a água, o fogo, o ar (três pontas voltadas para cima) a terra (ponta central voltada para baixo) e, por isso, trata-se de um símbolo da união, do universo, da totalidade.

%d blogueiros gostam disto: