o isso de mim

[dom] 23 de novembro de 2014

00:45 acabei de devorar a última panqueca – que fiz agora há pouco – com chimia de uva. mas isto não é nada demais e nem mereceria uma postagem… mas quando resolvo adentrar a rede social, depois de fazer a checagem básica de sítios e leituras, e me deparar com isto que segue transcrito abaixo não há como não parar tudo que faço, abrir o painel de edição e adicionar um novo post – na ânsia de registrar essa ideia, e essa sensação ao lê-lo – o poema que ao passar por mim desloca cada molécula do meu organismo… e para mim faz todo o sentido porque o sinto. mas antes de fechar esta postagem, abro um parêntese (para comentar de forma sintética o meu cotidiano dos últimos dias… ando a dormir pouco por estes dias e a trabalhar imensamente e essas coisas de rotina seguem bem rotineiras… nada de novo no fronte. só o pôr do sol deste sábado, que avistei enquanto regava as plantas, e essa sensação de admiração e gratidão ao meu velho pai. e é isso… a grana vai curta, o corpo anda exausto, o ser segue recluso sentimentalmente… mas a vida segue, movimenta-se) e fecho o parêntese. segue poema abaixo e até qualquer hora. cambio. desligo.

Canto III – Hilda Hist

«Isso de mim que anseia despedida
(Para perpetuar o que está sendo)
Não tem nome de amor. Nem é celeste
Ou terreno. Isso de mim é marulhoso
E tenro. Dançarino também. Isso de mim
É novo. Como quem come o que nada contém.
A impossível oquidão de um ovo.
Como se um tigre
Reversivo,
Veemente de seu avesso
Cantasse mansamente.

Não tem nome de amor. Nem se parece a mim.
Como pode ser isso?
Ser tenro, marulhoso
Dançarino e novo, ter nome de ninguém
E preferir ausência e desconforto
Para guardar no eterno o coração do outro.»

***

22h15 Para fechar o domingo… tevê, mais tevê e pizza. O planejamento era descansar o corpo dolorido e mofar  na frente da tevê nesta domingueira- depois de quinta-feira, sexta e sábado trabalhando como operário da construção civil, reformando casa onde mora filha… e na sexta-feira acumulando ainda o trabalho vespertino-noturno de professor. preciso fechar notas e diários hoje, ainda… mas enquanto não começo anoto algumas coisas bonitas e interessantes do dia.

Depois de assistir, a final da copa davis vendo a suiça de roger federer ser campeã, o gp de abu dhabi da f1 vendo o lewis hamilton ser bicampeão… entre a sessão tripla de star wars:

# blackbird – paul mccartney e outras canções em chaos and creation at abbey road;

# o documentário atlântico negro – na rota dos orixás de renato barbieri;

# e da série do canalbrasil luz, anima, ação“, do episódio “publicidade“, coisas como sinfonia amazônica de anélio latini filho;

# e no mesmo canal o documentário “o mercado de notíciasdirigido por jorge furtado.

 

%d blogueiros gostam disto: