notas instântaneas

[ter] 12 de agosto de 2014

notas instântaneas

#1 um mate pela tarde, porque as manhãs não existem. elas dormem.
#2 comparo livros didáticos… qual será a melhor ferramenta de suporte?
#3 chegaram os livros da anna blume. marx selvagem entre eles… estou salivando para começar a leitura.
#4. estou com um mal estar. mas posso decompô-los em dois aspectos -> é uma dor de cabeça, uma coriza, uma sonolência [provável fatores de motivação são: mudanças climáticas com dias quentes e noites frias; a falta de exercício físicos aeróbicos regulares e o excesso de carboidratos noturnos] e o outro aspecto é uma dor “espiritual”, esse medo renitente, essa solidão auto-imposta… esse exercício de reclusão… esse acúmulo de incompletude, esse desraigamento identitário… e chegou a hora de dar um passo importante, nesta construção que sou… é um passo que não deveria mizabele apavorar, mas me apavora tanto: entrar na justiça para trocar a paternidade de minha filha. faço 32, e ela 10, neste ano. nos conhecemos desde 2006 [24/2] – e houveram tantos momentos traumáticos neste processo, o medo, a raiva, a mágoa, a culpa – 2006 foi tão terrível, 2007 foi tão pesado, 2008 foi tão distante, 2009 foi tão depressivo… mas foram estes lentos anos um tempo de maturação para que em 2010 [28/6] pudéssemos estabelecer um vínculo afetivo diário. 2010 foi terapêutico. Você veio morar aqui na comunidade-família. e eu já estava me formando e “tinha meu espaço”… o mundo já não era tão ameaçador, só um pouco… para ser sincero, um tantão. e se lá em 2010 eu comecei, mas interrompi esse processo legal é porque entendia, e entendo que pai é quem cria, e eu não havia te criado… eras a filha de outro homem ainda – um outro que te construir no imaginário, te pariu, te embalou nos primeiros choros… era outro pai, eu não estava lá. eu nem suspeitava da sua existência. e nestes 4 anos aprendi tanta coisa, errei tanto, cresci tanto, aprendi a ser pai… a amá-la, desta minha forma tão tortuosa. meu amor é torto, frágil. segunda 18/8 é o dia de dar mais um passo.

 

# 5. ontem, chorei sem derramar uma lágrima. cartola cantava.
# 6. comunicar ajuda a lidar com as ideias. ideias são o combustível para ação. comunicá-las estabelece um vínculo, uma rede que sustenta o salto de um indivíduo em direção ao outro. ontem foi bom na escola, ter um tempo para trocar ideias com outros professores.
# 7. esse texto, ou o mate, ou drexler na vitrola, mas sinto que acordei agora e já são quinze e vinte da tarde.

ps:

Todos decían que no
Cuando dijo que sí Bolivia

Y el péndulo viene y va
Y vuelve a venir e irse
Y tras alejarse vuelve
Y tras volver, se distancia
Y cambia la itinerancia
Y los barcos van y vienen
Y quienes hoy todo tienen
Mañana por todo imploran
Y la noria no demora
En invertir los destinos
En refrescar la memoria

Y los caminos de ida
En caminos de regreso
Se transforman, porque eso:
Una puerta giratoria
No más que eso, es la historia

Composição: Jorge Drexler

%d blogueiros gostam disto: