plano ordinário

[sáb] 19 de janeiro de 2013

Carrego um corte novo. O pé dói. Não sei quando e nem como, por descuido ou desatenção, e creio ter sido bem mais do que uma vez apenas, numa sucessão de descuidos e desatenções… que levaram-me inadvertidamente a este corte no peito do pé. Um corte raso, mas dolorido… Um corte como estes que você nem sabe quando nem sabe como vai realizando todo dia quando deixa uma coisa para trás, quando não cuida de outra, quando esquece a navalha no quintal, quando deixa de realizar alguma coisa importante… Até um momento onde o sangue jorra e te mostra o quanto tudo é precário, tudo é provisório, tudo é falível, tudo é muito mais caótico e aos mesmo tempo encadeado… E neste momento apenas, o que é uma pena, você percebe que quase sempre é um tolo: por tanto descuido, pela desatenção, pelo esquecer-se de que há vida lá fora…

Carrego uns tantos cortes. Não sei quando e nem como…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: