el otro engranaje

[sáb] 3 de novembro de 2012

14:50 pego minha canoa e vou navegar pela tarde…

14:51 sou filho de um forasteiro…

14:53 jorge declama…

Es cierto que no hay arte sin emoción, y que no hay precisión sin artesania. Como tampoco hay guitarras sin tecnología. Tecnología del nylon para las primas, tecnología del metal para el clavijero. La prensa, la gubia y el barniz: Las herramientas de un carpintero. (…) La maquina la hace el hombre… Y es lo que el hombre hace con ella. El arado, la rueda, el molino, la mesa en que apoyo el vaso de vino, las curvas de la montaña rusa, la semicorchea y hasta la semifusa, el té, los ordenadores y los espejos, los lentes para ver de cerca y de lejos, la cucha del perro, la mantequilla, la yerba, el mate y la bombilla. (…) Hay manos capaces de fabricar herramientas con las que se hacen máquinas para hacer ordenadores que a su vez diseñan máquinas que hacen herramientas para que las use la mano. Hay escritas infinitas palabras: Zen, gol, bang, rap, Dios, fin… Hay tantas cosas yo sólo preciso dos: …”

15:05 em 2013 realizar projeto de pesquisa na escola onde for trabalhar. conhecer os pais, aplicar questionários, entrevistar. o sentido da escola e do ensino de sociologia para a comunidade {recortar melhor isto aqui: estudantes, pais, famílias, etc.)

15:12 Organizando o amontado de texto (para ver o que fica e o que vai embora) em uma lista de textos. (links para os textos ou resenhas – as resenhas não são de minha autoria)

RESENHA DO LIVRO: A ESCOLA BÁSICA NA VIRADA DO SÉCULO: Cultura, política e currículo/ Marisa Varraber Costa(organizadora).3.ed.-São Paulo:Cortez,2002

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 1999. 156 p. [Resenha]

PRESTES, Anita Leocádia. A que herança os comunistas devem renunciar. (Caderno). s. d.

STRAUSS, Claude Lévi-. “O futuro da etnologia”. In: Minhas palavras. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. Ed. Brasiliense, 1986.

A SOCIOLOGIA EM ESCOLAS DE SANTA CATARINA. Nise Maria Tavares Jinkings (UFSC)

Capitalismo Dependente, Autocracia Burguesa e Revolução Social em Florestan Fernandes. Miriam Limoeiro-Cardoso. Texto disponível em www.iea.usp.br/artigos

Para uma História da Sociologia no Brasil: a Obra Sociológica de Florestan Fernandes Algumas Questões Preliminares.
Miriam Limoeiro-Cardoso. Texto disponível em www.iea.usp.br/artigos.

RICHARDSON, R. Epistemologia do Trabalho Científico. In: RICHARDSON, R. Pesquisa Social: métodos
e técnicas. 3ed. São Paulo: Atlas, 1999.

BORÓN, Atílio. “O Manifesto: relíquia histórica ou documento atual?“. In: Crítica marxista : v. 1, tomo 6 /São Paulo : Xamã, 1998.

Arnold VAN GENNEP, Os ritos de passagem (Apresentação de Roberto da Matta), Petrópolis:
Vozes, 1978.

RODOLPHO, Adriane Luisa. “Rituais, ritos de passagem e de iniciação: uma revisão da bibliografia antropológica”. In: Estudos Teológicos, v. 44, n. 2, p. 138-146, 2004

FERNANDES, Florestan. “A educação numa sociedade tribal”. In: FORACCHI, Marialice M., PEREIRA, Luiz. Educação e Sociedade. Companhia editorial nacional.

MAZZA, Débora. A produção sociolóoica de florestan fernandes e suas interfaces com a Sociologia da Educação.

BENEDICT, Ruth, “A Ciência do Costume” in: Benedict, Ruth Padrões de Cultura. Lisboa: Livros

Florestan Fernandes – Memória Roda Viva. Entrevista concedida em 05/12/1994.

Carta de definição para Escritórios Modelo de Arquitetura e Urbanismo

Senso Comum – FeNEA – Federação Nacional dos Estudantes de Arquitetura e Urbanismo do Brasil

Reforma Urbana – FeNEA – Federação Nacional dos Estudantes de Arquitetura e Urbanismo do Brasil

16:51……………..

“…porque te vas a disgustar se piensas que voy a mirar a la que pase por ahi no seas tonta se so lo te quiero a ti la vista mia eres tu no tengo ojos para más me quedo cego se no estás mas que tonta ya no puedo amarte más tan linda como estas tan linda como estas mi ojos veen com claridad toda tu alma y sensibilidad…  tan linda como estas  tan linda como estas  mi ojos veen com claridad toda tu alma y sensibilidad… porque la amor tiene de todo un poco porque la amor tiene de todo un poco porque la amor tiene de todo un poco porque la amor tiene de todo un poco tiene belleza tiene alegria que bonito es amar que bonito es querer porque la amor tiene de todo un poco yo no puedo viver se no tengo tu amor tan linda como estas…” Havana Social Club. De todo um poco.

17:18 el otro engranaje

17:21 (…) la yerba, el mate y la bombilla (…) una canción que dice que uno sólo conserva lo que no amarra (…)

18:02 A la molina no voy mas porque echan azote sin cesar…

18:12 o gato dorme. o mate aquece. a tarde amansa. o sol doura.

18:37                                  “Existem nas recordações de todo homem coisas que ele só revela aos amigos. Há outras que não revela mesmo aos amigos, mas apenas a si próprio, e assim mesmo em segredo. Mas também há, finalmente, coisas que o homem tem medo de desvendar até a si próprio…” (Dostoiévski)

x

19:00 no pienses demás….

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: