tranquilo…

[qua] 25 de maio de 2011

Tranqüila levo a vida tranqüila / Não tenho medo do mundo / Não vou me preocupar / Tranqüila levo a vida tranqüila / Não tenho medo da morte / Não vou me preocupar / Que passe por mim a doença / Que passe por mim a pobreza / Que passe por mim a maldade, a mentira e a  falta de crença / Que passe por mim olho grande / Que passe por mim a má sorte / Que passe por mim a inveja, a discórdia e a ignorância / Tranqüila levo a vida tranqüila / Que me passe / A doença que me passe / A pobreza que me passe / A maldade que me passe / Olho grande que me passe / A má sorte que me passe / A inveja que me passe / A tristeza da guerra / Tranqüila levo a vida tranqüila / TRANQUILO / Composição: Kassin / Interpretação: Thalma de Freitas

Não existiria som se não houvesse o silêncio / Não haveria luz se não fosse a escuridão / A vida é mesmo assim, dia e noite, não e sim // cada voz que canta o amor não / diz tudo que quer dizer / Tudo que cala fala mais alto ao coração / Silenciosamente eu te falo com paixão / eu te amo calado como quem ouve uma sinfonia de silêncio e de luz / nós somos medo e desejo / somos feitos de silêncio e som / tem certas coisas que eu não sei dizer // A vida é mesmo assim / dia e noite / não e sim / eu te amo calado / como quem ouve / uma sinfonia / de silêncio e de luz / nós somos medo e desejo somos / feitos de silêncio  / e som / tem certas coisas / que eu não sei dizer // Composição: Nelson Motta e Lulu Santos / Interpretação: Milton Nascimento

As vitrines estão sempre acesas / A paz é feita de pequenos crimes / E de muros cada vez mais altos / Aguardando grandes assaltos / Vigiados todos nós estamos calmos / Não podemos ler as placas e os out-doors / Não teremos filhos, netos / Não tivemos pais e avós // A paz é inútil para nós / A paz é o que não podemos ter / Que a paz esteja com você / A paz com todas as forças / Prá deixar tudo como está / Na TV, na vitrine, no cartaz / Não se deve perturbar a paz / Fique em paz! // Ao som dos alarmes / Homens e mulheres armados / Cães e crianças brincando com armas / A paz com todas as forças / Fique em paz / A paz é inútil para nós / Fique em paz / Que a paz esteja com  você // A paz está por trás de doces palavras / E lenços brancos e buquês de flores / Pairando no ar sobre o mar / Num amanhecer em algum lugar / É dia das crianças, reveillon, natal / Dia de graças, das mães, dia de sol / A paz é inútil para nós / A paz é o que não podemos ter / Que a paz esteja com você // Fique em paz! / A paz é inútil para nós / Fique em paz! / A paz é o que não podemos ter / Fique em paz! // Há paz onde não podemos ir / Fique em paz! / A paz é inútil para nós / A paz é o que não podemos ter / Que a paz esteja com você / Fique em paz! // Composição e interpretação: Paulo Miklos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: