será que dói ou é só o poeta?

[sex] 30 de janeiro de 2009

nestes dias:

sol quente.
vivo gramado.
verde por todos os lados

cores, sons animais-vegetais
completam… o mosaico.

eu fujo do tom, atravessando…
Nestes dias encerro
uma fase.
e cada tarefa necessária se põe diante dos olhos e razão
todavia a imaginação

e os devaneios fragmentados me habitam teimosamente
e me perco imóvel sem escolher o que começar,

ando sem fé!

preciso desse próximo passo,

e da fé na potência contida…
preciso ordenar estes impulsos

que rasgam minha clareza, minha certeza…
preciso crer na força

e na criativa capacidade!
preciso, crente, profundamente

assumir a construção deste novo ser… preciso viver mais!

——–
traduzindo – Não tenha medo de ir devagar; só tenha medo de ficar parado, diz hoje.
——–

e rabiscado no guardanapo onde mal se distingue a caligrafia torta e os rabiscos desenhados dizendo da impossibilidade de retorno
ao que for, seja toda a dor já experimentada ou as agradáveis sensações retidas na memória

[o que é uma ilusão?]
[trecho suprimido na bula].

—-
mas é só ansiedade, e um certo pavor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: