ao mar um poetema!

[qua] 31 de dezembro de 2008

as vezes falta sentido.
as palavras simplesmente não dizem
não dizem o que sinto
então, me calo,
apenas sinto…

com estes olhos cerrados e bem abertos
com este pele em neve e ardendo em fogo
com estes dentes cravados e rindo-se..
com este corpo de leve, ao cair do sol, e firme, em pé, ao nascer do dia…

as vezes falta sentido,
e zarpo às ondas,
ao azul
e me levo,
faço-me da poesia sentida,

cheia de azul.

Sambaqui (Florianópolis), 31.12.2008.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: