~~

[qui] 9 de outubro de 2008

CADÊ TUA POESIA AQUI?
Por que te calas, poeta[?] social?
e deixas tua teoria[-,
tua ]prática,
teu trabalho,
ser-te fragmento,
coisa-pedaço de gente!
porque ainda te mente?

porque não rasgas teu corpo-cápsula
e grava tua garganta humana
no coração desta gente que age amputada da possibilidade de ser[-se] gente!
e todo dia processa ruído manipulado…

Vai, toma a coragem e abole as cotidianas mordaças
que vos mantém trancado e tranqüilo,
amputado, estorvo de ti mesmo,
como se fosse, tudo (dor, ânsia e medo),
assim pra sempre!

vê o precário em movimento, arregaça as mangas,
usa a cabeça e as mãos, apóia-te e torna
poesia concreta e real a ti,
que façamos nós juntos a arte-classe!
emancipada
dora.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: