Mar, inavistado, em ressaca.

[qui] 1 de novembro de 2007

Ressaca.

E desejos vãos.

De não ouvir pássaros e pisar o chão nu.

e pensar e pensar neste que de público que faço e insisto em não fazer.
e neste estado que mata… e eu que morro, e nasço todo o instante. cheio de lama e de aurora.
que é docemente agudo o ouvir do pássaros
de asas abertas em queda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: