O Cachorro Branco Morto

[dom] 4 de fevereiro de 2007

O CACHORRO BRANCO

É de asfalto negro
de faixas amarelas, pontilhadas,
é assim, cru, o caminho…

Imóvel, mas não estátua,
é carne e osso e morte
É assim, coisa, o canino…

E o asco, e a repulsa,
e o aperto no peito,
e a indiferença do tempo…

O caminho cruzou o tempo e o cão
branco se viu imóvel
não sendo mais cão.
só asfalto, faixas amarelas,
tempo – perdido – em algum momento
do caminho…
Itacorubi, Fpolis
04.02.2007

%d blogueiros gostam disto: