o dia em que eu não escolhi a jelly bean

[qua] 10 de dezembro de 2003

nas anotações do jovem rapaz estava escrito isto:

manhã, costão, admirando o mar, enquanto o sol seca meu corpo. a cabeça e corpo estão exaustos, podres de ressaca, mais uma noite virado se mastigando, arrependido pelas escolhas atravessadas e mal feitas… pelas mil dúvidas sobre essa vida tão incerta.

enredo – em menos de 30 segundos a cena: final da madrugada… a cabeça empoeirada, o coração boy ainda partido… as pupilas dilatadas. corpo encharcado, ao sair da toca, mastigando-se, como um animal ferido, ele e outras pessoas iam partindo, e no ponto cego, naquele instante antes da escolha, que só tempos depois tu saca que era uma oportunidade de escolha, tu vacilou e foi pelo caminho mais fácil.

das n possibilidades, duas ficaram latejando… ou embrenhar-se rua adentro até o fim para matar o animal que o devora por dentro numa foda de algumas horas – dessas fodas garantidas, com essas que dão pra qualquer otário alucinado…

ou, o inusitado, a oportunidade unica, acompanhar a enigmática jelly bean.

hesitei, jelly bean se foi. e fui para uma foda sem paixão, sem o olhos enigmáticos de jelly bean.

%d blogueiros gostam disto: