inimigo invisível

[sex] 28 de setembro de 2001

É a chuva.
É toda uma tempestade sem precedentes…
Quando acordo, vejo
Lágrimas nos teus olhos…
Gostaria, eu, de pegar-te no colo
E dizer:
Amo-te… “Não tenhas medo”
Amo-te… “Estou aqui”
E tudo é p’ra sempre…

Pequeno coração em fúria…

Frageis mãos que esmurram o ar…
Tentando derrubar o inimigo invisível

28.09.01

%d blogueiros gostam disto: